terça-feira, 4 de dezembro de 2012

A importância da Gratidão.

"A gratidão aumenta o seu êxito exponencialmente, pois toda a gratidão constitui uma emoção de elevada energia. Escreva todos os dias num livro de gratidão ou agenda diária, a gratidão que sente pelo que é bom e pelo que não é assim tão bom. O que não é tão bom está simplesmente a indicar onde é necessário colocar mais pensamento e acção. Como tal, considere qualquer obstáculo como boas notícias, sinal de que está a avançar. Esteja atento à emergência de antigos padrões (que causam as tais coisas menos boas) e mude-os à medida que avança. (...)
A gratidão é um sentimento expansivo que abre a janela da alegria e da manifestação. Esteja grato pela luz do sol, pelas aves que cantam, pelo seu lar, as suas competências, as pessoas especiais da sua vida. Pergunte a si próprio 'por que coisa estou grato neste momento'? (...)"

Devo admitir que sempre detestei livros de auto-ajuda, todos os que tentei ler ou comecei a ler causavam-me repulsa. Apesar deste livro não ser considerado "auto-ajuda", a forma como algumas coisas são escritas faz mesmo lembrar um livro de auto-ajuda. No entanto, devo dizer que este livro é... diferente. Tem-me ajudado, de facto, a encarar as coisas de forma diferente, quando eu acho que nada é bom.

Ultimamente, por exemplo, achava que tinha andado numa onda de azar, porque num espaço de duas semanas, coisas menos agradáveis aconteceram. No entanto, tenho de admitir que são mais, muitas mais, e lembro-me de tantas que nem consigo lembrar-me de todas, as coisas pelas quais devo estar grata. Mas claro que tendemos sempre a focar-nos no que não corre exactamente como queremos, do que naquilo que já está a correr super bem, ou até melhor do que alguma vez esperámos. No fim, cheguei à conclusão de que até estes "pequenos azares" que achava que estava a ter, se tornaram em coisas boas, ou em coisas que me permitem ir atrás de coisas melhores, ou coisas que significam que coisas melhores estão a acontecer neste exacto momento, e outras melhores estão para vir. Porque, aliás, se é azar ou sorte, somos nós que definimos, pela forma como olhamos para esse "azar" ou para essa "sorte".

Sim, sou pessoa de acreditar em Karma, em energias, no poder da mente, das palavras e da visualização, e já tive muitas provas de que realmente funciona, se quisermos. O mundo é apenas aquilo que percepcionamos, aliás, o mundo só existe porque o percepcionamos: será que o mundo, tudo o que conhecemos, tudo o que está à nossa volta, existiria sem alguém para o percepcionar?

Voltando à questão da gratidão: se há coisa pela qual estou grata neste momento e sempre estarei, é mesmo pelas oportunidades que a vida sempre me deu (a vida, e as pessoas que se cruzaram no meu caminho), e a minha capacidade de não deixar passar nenhuma oportunidade que vejo que me faça crescer enquanto pessoa, e que me faça, a cada dia que passa, uma pessoa mais feliz do que aquilo que já sou.

1 comentário:

Khris Bhota disse...

OLA GOSTEI MUITO DA REFLEXAO SOBRE A GRATIDAO.

OBRIGADA!!!